top of page

Cultura de dados: práticas essenciais para começar a transformar a sua empresa em data driven

Implementar uma cultura de dados na sua empresa é como correr uma maratona: um processo longo, que não acontece da noite para o dia e que exige muito treino e dedicação. Embora seja simples descrever para seus colaboradores como usar os dados no processo de decisão, fazer com que eles adotem essa prática, até o ponto de se tornar automático, é muito mais difícil. Demanda uma mudança de mindset, o que tem sido um grande desafio até mesmo para grandes organizações.

A pesquisa anual da consultoria NewVantage Partners, com foco no progresso de iniciativas de Big Data e Inteligência Artificial (AI), entrevistou executivos de 85 empresas líderes em seus mercados, citadas na lista Fortune 1000. Pelo quinto ano consecutivo, os gestores apontaram que o principal desafio em relação a essas iniciativas é cultural e não tecnológico. Na pesquisa de 2021, 92.2% responderam que continuam tendo dificuldades na implementação de uma cultura de dados, relacionadas com alinhamento organizacional, criação de processos, mudanças na gestão, comunicação e até falta habilidade dos colaboradores ou pouca compreensão sobre dados.

Então, quais seriam as práticas essenciais para se criar uma cultura de dados dentro da sua empresa? É claro que não existe uma receita pronta. Mesmo assim, é possível identificar algumas iniciativas que parecem ser fundamentais para alcançar o tão sonhado e valioso título de data driven. E você pode se surpreender ao descobrir que o maior gargalo passa muito mais pela gestão de pessoas do que pela aquisição e uso de tecnologia. 

Na pesquisa de 2020 da consultoria O’Reilly sobre o uso de AI nas empresas, mais de um sexto dos participantes citou a dificuldade de contratar ou reter mão de obra especializada como uma barreira significativa para a implementação de iniciativas de AI nas organizações. Outros fatores listados como impedimento também estão mais relacionados à pessoas do que tecnologia:

  1. falta de uma cultura que reconheça a importância do uso da AI (22%);

  2. dificuldade em identificar oportunidades de uso no seu negócio (20%);

  3. e falta de dados ou problemas com a qualidade dos dados usados (16%).

Listamos aqui algumas práticas que podem começar a mudar a chave do seu negócio e ajudá-lo a adotar uma cultura voltada aos dados e pensamento analítico dentro da sua empresa.

Mudança começa na diretoria

A diretoria é a última instância tomadora de decisão, logo, se ela não for analítica a empresa nunca será data-driven. Se todo nível tático e operacional se tornar analítico, mas a diretoria preferir a intuição ou mesmo experiência para se decidir, a empresa vai continuar rigorosamente no mesmo lugar em termos práticos. Ou seja, uma diretoria analítica é “pré-requisito”. Numa empresa data-driven ideal, nenhuma reunião começa sem que todos em volta da mesa tenham dados que descrevam o problema e as possíveis soluções, especialmente uma reunião de diretoria.

Se você cobrar dos seus executivos ou diretores que usem dados para embasar as decisões que apresentam à você, a tendência é que eles também passem a “conversar” com outros funcionários nessa mesma “linguagem”. O exemplo de alguns no topo pode catalisar grandes mudanças dentro das organizações.

Vitórias rápidas

Comece essa mudança adotando iniciativas de prototipação: investindo em projetos que busquem construir uma entrega mínima que já prove o valor de uma solução de dados para o negócio e justifique, portanto, outros investimentos maiores. Foque em problemas que são relevantes do ponto de vista financeiro. Assim, você consegue demonstrar com mais facilidade os benefícios no uso dos dados e construir a credibilidade necessária para para solidificar essa cultura organizacional.

Data literacy

Os seus funcionários entendem o que são dados, o que é possível fazer com eles, o que é um produto de dados? Você não vai conseguir criar uma cultura de dados sólida sem que toda a empresa, do estagiário ao diretor mais antigo, entenda pelo menos o básico sobre dados. Ninguém precisa se tornar um especialista da noite para o dia, mas é importante investir em capacitações para que os seus colaboradores não deixem passar oportunidades de usar os dados para tomar decisões de forma analítica e saibam identificar oportunidades de negócio.

Explicando as decisões analíticas